FLAETERNO's avatar

FLAETERNO

flaeterno

FLAMENGO X GOIÁS

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO X GOIÁS

Estádio: Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data/hora: 20/4/2014 - 18h30
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP)

FLAMENGO: Felipe, Léo Moura, Chicão, Wallace e Everton; Amaral, Márcio Araújo, Luiz Antonio e Lucas Mugni; Paulinho e Alecsandro. Técnico: Jayme de Almeida.

GOIÁS: Renan, Vitor, Jackson, Pedro Henrique e Lima; Amaral, David, Thiago Mendes e João Paulo; Rychely e Léo Bonatini (Araújo). Técnico: Ricardo Drubscky.

Comentem amigos e muito boa sorte pro nosso Mengão.

Fábio Marques

Cesar Porto

Um Causo - Minha Primeira Vez Como Flamenguista

28/12/2009

Um “Causo”- Minha 1ª vez……como Flamenguista

Era 1963, quando aconteceu o meu primeiro caso de amor com a Nação Rubro-Negra. 

Consultei agora a Internet para me lembrar do dia. Foi no dia 27 de julho, num domingo de Sol.

Eu morava em Macaé, e ouvia os jogos do Flamengo pelo rádio, pois já haviam impedido as transmissões diretas pela TV, para evitar perda de arrecadação. Meu pai, militar, era Oficial do Exército, e trabalhava no Forte Copacabana. Ele foi o responsável pela minha cultura flamenguista. Foi ele quem me deu a primeira camisa, em 1949, quando eu tinha apenas dois meses de idade. Depois ganhei outra, em 1953, a qual eu vestia todo orgulhoso e já faz parte da minha lembrança. Posso então dizer que sou flamenguista fanático, desde 1953, quando ganhei meu primeiro título. 

Dias atrás eu me encontrei com Evaristo de Macedo, ídolo do meu pai, e lhe falei do jogo contra o Vasco, um 3x3. Mas ele disso não ter jogado aquela partida. Foram dois 3x3 contra o Vasco. Um deles eu me lembro, pois meu vizinho era vascaíno e meu pai vivia conversando futebol com ele. No primeiro, o Flamengo estava ganhando de 3x1 e o Vasco empatou. No segundo, o Vasco ganhava e o Flamengo empatou. Lembro-me apenas disso. Posso então dizer que sou flamenguista dos tempos de Joel, Rubens, Índio, Benitez e Esquerdinha.

Mas foi somente dez anos depois que aconteceu o contato no Maracanã, a minha primeira vez. 

Meu pai estava no Rio e ligou para minha mãe. Pediu que ela me colocasse no ônibus para que eu fosse encontrá-lo em Niterói, de onde começaria a minha caminhada ao Maraca dos Sonhos. Foi o maior presente que ganhei na vida. Meu real primeiro caso de amor com a Charanga de Jaime de Carvalho. Ficamos bem ao lado da Charanga e eu, entusiasmado com aquele sonzinho, que, para a época, era o máximo. Não havia os gritos de guerra de hoje.

(1a.parte)

Um Causo- Minha 1ª vez como Flamenguista

Pois bem, eu queria ter visto Garrincha, naquele dia, mas ele estava machucado e em seu lugar jogou um tal de Jairzinho, que eu não conhecia. Moleque arisco, rápido, que passou o jogo inteiro atormentando a vida do Jordan. O Paulo Henrique, que era de Quissamã, distrito de Macaé, jogou na preliminar e foi outra coisa gratificante que aconteceu naquele dia.

Eu jogava muito bem e meu pai vivia recebendo “cantadas” para que ele “assinasse” a fim de que eu pudesse jogar por algum time de lá. Meu pai sempre disse que se dependesse da assinatura dele, eu nunca reclamaria de ter perdido meus estudos por causa do futebol. Graças a DEUS ele agiu assim. Várias vezes, naquele dia, eu me vi vestindo aquela camisa apaixonante e a Torcida gritando o meu nome.

O jogo estava “pau a pau”, mas o Flamengo tinha um ótimo jogador, raçudo, lá na frente, estilo rompedor, sem ser trombador, chamado Airton, que fez o primeiro gol. Aquilo, para mim, foi como se fosse um gol meu. Eu e meu pai vibramos tanto e por tanto tempo que recebemos, como era comum naquela época, uma caixa de Eskibon, toda suja, na cabeça. (meu pai recebeu, mas caiu em cima de mim). Nem ligamos, o Mengão vencia e parecia que ia ser de mais.

O Botafogo tinha um goleador nato, chamado Quarentinha, que acabou empatando o jogo. O mundo desabou sobre mim. Logo naquele dia em que eu tinha a “minha primeira vez”? Diga-se de passagem, que o Botafogo era o bicampeão Carioca. Um timaço, com Nilton Santos, Gerson, Quarentinha, Zagalo e desfalcado do Garrincha.

(2ª parte)

Um “Causo” - Minha 1ª vez como Flamenguista

A torcida do Flamengo recomeçou a gritar. E a Charanga do Jaime tocava incessantemente quando Paulo Choco, o número 10 do Flamengo, o substituto de um Dida também machucado, fez o segundo gol do Flamengo. 2x1 Mengão, Minha Paixão.

Meu pai pediu que o mesmo cara que havia jogado a caixa de sorvetes jogasse outra, pois ele não pararia de pular….Foi uma chuva interminável de copinhos de papel, sorvetes, laranjas, etc….Naquele tempo havia laranjas cortadas, “in natura”, vendidas livremente nos estádios. 

Intervalo de jogo e nós, lá, vibrando. Eu nem estava me tocando com aquela sujeirada toda. Queria era ver o meu Mengão, Mais Querido do Brasil, o dono na Maior Torcida do Mundo, jogar e derrotar o time de Garrincha, ver o time fazer gol no Manga, o goleiro que dizia que gastava o dinheiro do “bicho” no sábado antes do jogo contra o Flamengo, pois a vitória era certa. Eu queria a forra e aquela era a oportunidade.

Recomeçou o jogo e era lá e cá, jogo complicado, até que num lance, lá pelo final, Airton arriscou um chute da intermediária e a bola que iria para as mãos do goleiro Manga, o “insuportável adversário Manga”, foi desviada pelo chamado morrinho artilheiro, cobrindo o goleiro falastrão e indo parar nos fundo das redes.

Que loucura!

(3ª parte)

Um “Causo” - Minha 1ª vez como Flamenguista

Eu desapareci da vista do meu pai. Saí feito um doido, batendo no peito e gritando “Manga Rosa bichada”(o Manga tinha o rosto cheio de marcas como se fossem furos), “quero ver você pagar ao quitandeiro agora”, “frangueiro!”….e meu pai ficando distante, até que me toquei que eu não tinha a menor noção de como fazer para sair dali e pegar a condução de volta para Niterói, nem dinheiro nenhum no bolso.

Aí, lembrei-me de Jaime de Carvalho e pensei: “Meu pai está do lado dele”.

E fui, então, de volta para reencontrá-lo. Acontece que meu pai tinha saído para procurar-me, coisa quase que impossível num Maracanã com 80 mil pessoas. Fiquei ali do lado do Jaime, pois sabia que meu pai voltaria ao local onde combinamos de nos encontrar, em caso de corre-corre: “Ao lado do último instrumentista da Charanga do Flamengo” foi a orientação, antes mesmo de entrarmos no Maracanã..

Antes do término do jogo, meu pai já estava ao meu lado, feliz da vida, e nem sequer teve preocupação em me dar aquele costumeiro “esculacho”, pelo meu sumiço, que na praia, então, acontecia em todos os finais de semana. Meu pai e eu estávamos entregues às emoções da “minha primeira vez” e ele, satisfeito com o meu desempenho de garoto normal, maluco como todos, vibrante como os mais espertos e flamenguista carimbado como somente aqueles que têm sensibilidade e sabem o que querem.

E começou o oléééééé……… Oléé….Oléé……que delícia!(Não era olé, era outra coisa com o mesmo significado). Flamengo 3x1 Airton, Quarentinha, Paulo Choco e Airton, novamente (gol do morrinho artilheiro). Eu acredito que esta expressão tenha sido criada naquele dia, pois nunca tinha ouvido antes. Acabou-se a farra do Manga. 

(4ª parte)

Um “Causo” - Minha 1ª vez como Flamenguista

Em dezembro daquele ano o Flamengo ganhou seu título de campeão carioca, oito anos depois do segundo tricampeonato. Ao final do jogo, fomos à saída dos vestiários para ver os heróis de perto e, em seguida, regressamos a Niterói, onde peguei o ônibus de volta a Macaé. Chegando lá, depois de contar tudo para a minha mãe, vi que começava na TV Rio, o “vídeo-tape” do jogão da minha história. E eu olhava , via e dizia: “Mãe, eu estava lá.” 

Neste ano 2009, em que espero ser o do hexa brasileiro, levo o meu enteado ao Maraca quando o time de Jaime de Carvalho joga e me faz lembrar de Mauro, Murilo, Luis Carlos, Ananias e Jordan; Carlinhos e Nelsinho; Espanhol, Airton, Paulo “Choco” e Osvaldo “Ponte Aérea”. O técnico era Flávio Costa

Agora estou emocionado. Ainda bem que foi no fim da crônica.

(FIM)

Esta historinha foi publicada e está(va) contada no Site Oficial do Flamengo.(No antigo site)

CESAR PORTO

flaeterno

EU QUERO É TÍTULO, MENGÃO!

 

MENGO/ EU TO SEMPRE CONTIGO/ SOMOS UMA NAÇÃO/ NÃO IMPORTA ONDE ESTEJA/ SEMPRE ESTAREI CONTIGO…

SRN Flaeternos,

O combatente nunca foge à guerra, e nós rubro negros somos os soldados de frente do poderoso FLAMENGO.

Estamos na espreita, nunca derrotados, ou como muitos falam, se fingindo de mortos para detonar o coveiro… kkkkkkkkkkk 

Perdemos mais uma batalha, mais uma libertadores, mas assim como somos felizes pelas nossas conquistas, não abandonamos nosso MENGÃO em uma derrota nunca, ainda não desistiremos tenho certeza, LIBERTADORES QUALQUER DIA VOLTO AI!.

Quem aqui não lembra as varias vezes que ficamos pelo caminho na copa do Brasil, veio o cruzeiro, veio o Gremio, veio ate o Santo Andre e nos tirou o titulo dentro de casa, pois bem, aprendemos e hoje somos poderosos nesta competição chamada Copa do Brasil.

Chegará o momento que aprenderemos a LIBERTADORES, e ai meus amigos, não terá para ninguém. Ta faltando os jogadores aprenderem a não tremer qd nos verem no maracanã, lotando e fazendo a festa que só nós sabemos fazer, será que eles não entendem que estamos do lado deles? A MAGNÉTICA NÃO MERECE PASSAR VERGONHA NO SEU TEMPLO SAGRADO!

Domingo tem mais decisão, vamos ganhar de novo? SIM. Não me venham dizer que não querem o carioca, título é título e sempre será bem vindo, PRINCIPALMENTE EM CIMA DE NOSSOS ETERNOS FREGUESES. Não abandonaremos o nosso MENGÃO, VAMOS TODOS JUNTOS SEM APENAS ALGUNS PEREBAS QUE TORCEM PARA TIMECOS PEQUENOS, POIS, GRANDE SÓ O NOSSO FLAMENGO.

 VAMOS DETONAR O NOSSO SACO DE PANCADAS! 

OBS.: PAI FEITOSA AINDA ESTA PUTO COM MAIS UMA DERROTA PARA OS COMEDORES DE PIMENTA! MAS NÃO PODEMOS DEIXAR DE BATER NO VASQUINHO!

image

                    Eu te amo Flamengo

 FLÁVIO FEITOSA

flaeterno

LIMITAÇÕES SÃO CORRIGIDAS COM MUITO TRABALHO

image

Companheiros, fui ao jogo e saí do Maracanã decepcionado. Fiquei pensando e cheguei à conclusão que fica difícil arrumar apenas um problema que ilustre nossa eliminação. Tivemos diversos. De elenco limitado a erros infantis.

Mas uma coisa não sai da minha cabeça desde ontem: Time ruim, time limitado, TEM QUE TREINAR!

Nosso time é limitado e ainda tivemos um azar de estar com alguns jogadores principais de fora do elenco por contusões e questões judiciárias. O Flamengo precisava ter poupado o time contra Cabofriense e Vasco no carioca. Não por questões físicas, mas para ter tempo de se fechar, focar, estudar o adversário e treinar. Treinar à exaustão para no mínimo termos alguns recursos. 

Hoje, além de limitações técnicas, temos deficiência tática. Vimos isso ontem. Éramos um bando perdido correndo atrás do prejuízo. Sem a menor noção do que deveria ser feito. Correria, correria, bola na área, viradas de jogo no meio de campo e só. Vivemos de lampejos de Paulinho, Everton e raramente Léo Moura (Não poderia ter jogado). Mais nada! Flamengo hoje se resume a isso e mais nada

O time tem que treinar para conseguir o mínimo de conjunto. Não ganharemos nada com esse elenco e jogando assim, enlouquecidamente, passaremos sufoco durante o ano. Sofreremos ainda mais.

JAYME

Eu acho que problema não está no esquema, apesar de pedir para o Jayme  dar variação tática ao time.

Penso que o pior são as peças no esquema e as condições delas pra desempenharem as funções designadas. Por exemplo:

Muralha pode substituir o Elias? Não estou comparando futebol, mas a disposição de atacar e defender já mostra uma diferença enorme.

Jayme tentou manter o mesmo esquema do ano passado, mas  com peças  de outra engrenagem. a máquina não tem como funcionar.

Espero que o time não se abata e entre com outra cara para a decisão. Assim espero.

SRN!

VINÍCIUS NOGUEIRA

flaeterno

MENINOS, É DECISÃO!

image

Dia de decisão, vamos aos fatos. Hoje é guerra no Maracanã. Outra. O jogo do ano para o Flamengo. Mais um. Empate não é opção. Vitória é obrigação. É pegar os mexicanos do León de jeito, frente a 60 mil orgulhosos hexacampeões brasileiros de futebol masculino. Isso é Flamengo.  Muito nervosa, mais super confiante. 3 a 1. Vamos!

VANESSA SILVEIRA

flaeterno

6 ANOS DE FLAETERNO

image

Neste dia 07 de ABRIL completamos 6 anos de existência. Foram inúmeros posts publicados,  cada um com sua importância e melhor,  levando aos internautas rubro-negros (e simpatizantes)  informação sobre o Mais Querido do Brasil. Sendo assim, queremos agradecer a todos que durante esses seis  anos acessaram diariamente nosso Blog, Obrigado por terem acompanhado durante esse tempo as noticias,  pois criar, editar, pesquisar e manter um blog atualizado não é nada fácil,mas seríamos muito injustos  se não lembrássemos de todos neste momento.

Adm FLAETERNO (Fábio Marques e Carlos Gerdinazzi)

flaeterno

FLAMENGO X VASCO

image

VASCO X FLAMENGO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 6 de abril de 2014 (Domingo)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Assistentes: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Jackson Loureiro dos Santos (RJ)

VASCO: Martin Silva, André Rocha, Luan, Rodrigo e Diego Renan; Guiñazú, Pedro Ken e Douglas; Everton Costa, Edmilson e Reginaldo
Técnico: Adilson Batista

FLAMENGO: Felipe, Léo , Walace, Samir e Frauches; Amaral, Luiz Antonio, Márcio Araújo e Mugni; Paulinho e Alecsandro
Técnico: Jayme de Almeida

FÁBIO MARQUES

Cesar Porto

O exemplo veio do Equador

Minha Análise: A atitude da torcida tem e deve se ser diferente da do time. O time tem que ser agressivo, a torcida paciente. A torcida tem que confiar e esperar, o time tem que conferir e insistir.
Jogamos como humildes e fomos roubados no México. Na Bolívia, jogamos com paciência e perdemos desde o primeiro minuto, só esperando… No Maracanã, jogamos com arrogância e a persistência deles nos roubou 2 pontos…..
Ontem jogamos como FLAMENGO e ganhamos. A torcida teve paciência e já, antes do jogo, confiava. Esperamos pelo gol até o último minuto e aconteceu. Ontem foi FLAMENGO lá e aqui.
Agora vamos jogar contra o Leão mexicano. Vamos pra cima, agredindo, insistindo, não desanimando nunca, como FLAMENGO. E a torcida, não esqueçamos, não pode vaiar, nem que seja o Carlos Eduardo. João Paulo, longe das vaias, mesmo sendo modesto, não comprometeu. É claro que ele não sabe jogar futebol mesmo, mas é quem temos.

A TORCIDA TEM QUE SER FLAMENGO, porque AQUI É FLAMENGO.

Um amigo meu me disse: Eu não queia torcer pelo preto e vermelho, pois gosto do azul, mas eu queria dizer SOU FLAMENGO. É mais forte do que dizer eu sou Cruzeirense… VERDADE.

CESAR PORTO

flaeterno

É Guerra no Equador!

image

É Guerra, meninos! É o que se espera hoje lá na “baixitude” de Guayaquil, contra o Emelec.

Nossa incompetência é a responsável por fazer do jogo contra os equatorianos o mais importante do ano, o que vai definir o resto de 2014 para as pretensões rubronegras. Empate é bom, o que não dá muito crédito, já que eles  ganharam as duas na Libertadores lá e não perdem em seus domínios há mais de seis meses. Jayme deve lançar Wellinton na lateral, meio esquisito pro meu gosta, mas ele deve saber o que está fazendo.  

Mas vamos na fé, Flamengo 2 a 1, de virada.

Obs: Imprensa, já estou com saudades. Volta logo!

VANESSA SILVEIRA

flaeterno

UM ATÉ BREVE…

image

Amigos, não sou muito bom em despedidas, geralmente me emociono (praticamente inevitável), mas sinto que não poderia desaparecer das páginas do Blog sem ao menos dizer um “até breve” a vocês que me fizeram companhia todos os dias ao longo dos anos. Não mesmo!

Despeço-me com o coração partido, já cheio de saudade, mas é um ciclo que se encerra, e a vida tem que continuar…

 Projetos borbulhando, muito trabalho a ser tocado e infelizmente há momentos que temos que priorizar a vida profissional, a família e seguir em frente.

Não estaremos mais juntos aqui no Flaeterno, mas estaremos sempre próximos, por tudo que aprendi com vocês, pelo tanto de boa gente que são e pela oportunidade ímpar que me foi dada em conhecê-los.

Há 15 anos criei o Nick “IMPRENSA VENDIDA PRA SP” na intenção de ligar uma espécie de luz vermelha…   O intuito era abrir os olhos dos torcedores dos clubes do RJ, em especial do Flamengo em relação aos abusos e canalhices que a mídia dominante fazia (principalmente a GLOBO).

Hoje vejo que a luta não foi em vão e muitos já veem com clareza tudo aquilo que havia observado há mais de 15 anos.

 Sendo assim, com o coração dorido informo que o IMPRENSA VENDIDA pendura suas chuteiras. É o fim de um ciclo…  Mas por favor, não fiquem chateados comigo por isso. Sempre que puder estarei  aqui para dar meus pitacos, pois o Flamengo está no sangue, é como um imã…  Não dá para abandonar.

Valeu demais! Agradeço por tudo, pela paciência e consideração em todos esses anos de companheirismo, cumplicidade e amizade!

SORRIA, VOCÊ É RUBRO-NEGRO !

IMPRENSA VENDIDA PRA SP